quinta-feira, 1 de dezembro de 2005

III - Do outro lado

Caminhos cruzados
Olhos deram a resposta
Que teu corpo a insinuar
Me trouxe o delírio
O amor e o perigo
Que tentei evitar

E sem evitar
Lutei ao teu lado
As duas mãos rumo ao intenso
Caminho para a eternidade
Desejo que em ti tornou-se incerto

Te levando ao passado
Cada vez mais longe
Do outro lado do mar
Teus sonhos moram
Dentro de ti,
Mas por eles não sabes lutar.

"E os desejos cessam
Consentidos,estamos cansados
Teu corpo não mais recebe minhas mãos
Mas me sinto forçado a te honrar
Te dar mais que um par:
Te dar meu coração"

“Lutar contra o cansaço
Afogado no medo
De entregar o corpo e a alma
E o peito”
E vemos agora no espelho
O que um dia foi um par...

Eu vejo o outro lado
Cada vez mais longe
de onde você está
Teus sonhos moram
Dentro de mim
Mas teu coração aqui não está

Sonhos destruídos
E teus medos expostos
São tua alma em pedaços
O apagar da chama do teu coração.
Sei que não chegamos ao outro lado
Mas tenho meu destino em minhas próprias mãos.

José Augusto Mendes Lobato 01/12/05

Um comentário:

arthur disse...

nossa. forte hein?